segunda-feira, 23 de março de 2015

Slash em Porto Alegre/RS

       
         
          Se alguém ligasse o rádio de 1992 até 1995 e colocasse o dial em uma radio jovem com certeza ouviria alguma musica do Guns n' Roses. Simplesmente era impossível ficar à parte, pois a banda de Axl Rose tomou conta da mídia, tanto nas rádios como na TV. Os clipes eram lançados frequentemente nesse período em que a MTV estava em alta. Desde que lançou seu primeiro álbum em 21 de julho de 1987, o Guns N' Roses estava pronto para se tornar um dos maiores nomes do Rock de todos os tempos. Era comum os Headbangers da época odiarem a banda, afinal a exposição era constante e nada tinha a ver com o amado underground. Foram cinco discos lançados entre 1987 e 1995. Após o debut, tivemos o lançamento do EP Live: Like a Suicide e do acustico Lies lançados como sendo um àlbum completo em 1989 fazendo com que Patience estourasse em todas as mídias. Após isso iniciasse a maratona Use Your Illusion 1 e 2 que são dois discos duplos lançados com muita pompa e circiunstância e que teve uma turnê gigantesca, com enormes shows para sua promoção. A avalanche de clipes também foi constante, assim como as concessões radiofônicas.
          Pois bem, estou falando a respeito da banda porque na ùltima sexta-feira (20/03/2015) no Pepsi On Stage em Porto Alegre/RS presenciei uma celebração desse período no show do Slash featuring Myles Kennedy and the Conspirators, ou simplesmente o show solo do Slash ex-guitarrista do Guns N' Roses. Como havia comprado meus ingressos anteriormente, tive tempo de conhecer o trabalho solo do cara, que é muito bom, diga-se de passagem. Apocalyptic Love e o mais recente World On Fire trazem uma banda excelente com um baterista preciso, Brent Fitz, um baixista Todd Kerns, que canta e que se encaixa no estilo do baixista anterior, Duff McKagan de tantas gigs. O vocalista é um caso a parte e a cereja do bolo do trabalho atual do guitarrista, falo de Myles Kennedy, guitarrista e vocalista do Alter Bridge. Extremamente afinado ao vivo, reproduzindo com precisão o trabalho de estúdio e tendo um desempenho soberbo nas canções do Guns que recheiam o set dos shows do Slash.
       
          Com a casa lotada e extremamente receptiva, a banda fez um show digno da fama de seu líder que em 95% do tempo é apenas o guitarrista da banda, assim como era no GNR e no Velvet Revolver. O timbre característico e o estilo marcante de tocar dão ao bom gosto do músico o prêmio de ser o que há de melhor no Hard Rock dos dias atuais. Foram duas horas onde o clássico e o novo se tornaram atemporais na minha opinião. Músicas como World On Fire, Anastasia e Bent to Fly podem figurar muito bem com Welcome to the Jungle, Paradise City e Sweet Child O' Mine na lista de grandes composições do Hard Rock. O trabalho do Slash traz uma banda muito competente que pode dar ao mundo grandes composições caso se mantenha coesa e lançando albuns como tem feito nos últimos 6 anos.
Segue setlist do show:
You're a Lie
Nightrain (Guns N’ Roses cover)
Standing in the Sun
Ghost
Back from Cali
Wicked Stone
Too Far Gone
Mr. Brownstone (Guns N’ Roses cover) (com Gilby Clarke)
You Could Be Mine (Guns N’ Roses cover)
Doctor Alibi (Todd Kerns nos vocais)
Welcome to the Jungle (Guns N’ Roses cover) (Todd Kerns nos vocais)
The Dissident
Beneath the Savage Sun
Rocket Queen (Guns N’ Roses cover)
Bent to Fly
World on Fire
Anastasia
Sweet Child O' Mine (Guns N’ Roses cover)
Slither
Paradise City (Guns N’ Roses cover
          Quem curte Hard Rock ou um bom show de Rock n' Roll saiu do local próximo das 00:00 com a alma renovada e com a sensação de que certas coisas ainda estão bem vivas e podem ser apreciadas. Se não temos os mega shows em estádios ou a ampla divulgação da mídia, mesmo que a banda de AXL Rose continue na ativa com a pretenção de ser o Guns de outrora, temos o Slash na melhor forma e fazendo músicas e shows de qualidade, basta aproveitar as oportunidades e se fazer presente.
Postar um comentário