sexta-feira, 10 de julho de 2015

Cinco álbuns referência para o Punk Rock

Antes de escrever qualquer coisa a respeito dos álbuns que vou citar, quero deixar claro que não sou um profundo conhecedor do estilo e nem defendo esta ou aquela tendência punk, se é que ainda existam punks engajados em alguma coisa. Também não defendo nem sou contra nenhum movimento que tenha ocorrido aqui no Brasil ou no exterior. O objetivo aqui é falar das músicas produzidas por algumas bandas. Como qualquer outra vertente musical que tenha marcado época, o movimento punk trouxe uma valiosa contribuição, tanto musical como estética, para as gerações posteriores aos anos 70. Atitude rebelde, letras que refletiam o que estava acontecendo no cenário político, drogas e conflitos de gangues sempre estiveram inseridos no contexto punk. Há uma literatura bem rica a respeito do movimento e alguns documentários interessantes que podem ilustrar bem melhor esse cenário do que qualquer texto que eu possa escrever. Não posso negar e nem quero minha preferência por Heavy Metal, isso pode até ressaltar ainda mais o trabalho dessas bandas, pois influenciaram muitas bandas de diversos estilos musicais ao longo dos anos. Vamos nos concentrar na musica em si. Então vamos aos álbuns:
Fresh Fruit for Rotting Vegetables dos Dead Kennedys foi lançado em setembro de 1980 e contava com Ted na bateria, Klaus Flouride no baixo e East Bay Ray nas guitarras. Este último também responsável pela produção durante as gravações no estúdio Mobius Music nos meses de maio e junho de 1980. A capa deste álbum mostra vários carros de policia sendo incendiados durante o "White Night Riots" que ocorreu em 27 de novembro de 1978, data em que o ex-supervisor de San Francisco Dan White, assassinou o prefeito George Moscone e o supervisor Harvey Milk.Talvez a banda não tivesse tanta relevância no cenário musical se a frente dos músicos citados acima não estivesse Eric Reed Boucher, ou simplesmente Jello Biafra. Não vou entrar em detalhes sobre a vida e a obra do polêmico vocalista, isso mereceria um capitulo a parte, para o momento basta citar que é a voz dele e suas ideias que estão presentes em Kill the Poor, California Uber Alles e o hino Holiday in Cambodia. Jello foi e ainda hoje é um personagem muito polêmico e de opiniões fortes a respeito da politica e da sociedade em geral, e a banda acabou sendo a plataforma perfeita para ele difundir suas ideias. O álbum conta com uma sonoridade homogênea e bem produzida para um grupo punk, o que torna Drug Me e Your Emotions, junto com as três faixas já citadas acima ainda mais interessantes. Tive alguns amigos adeptos do punk e Dead Kennedys sempre foi uma referência assim como este álbum é um dos mais importantes na história do Punk Rock e Hardcore mundial.
Never Mind On The Bollocks dos Sex Pistols lançado em 1977, mais precisamente em outubro no Reino Unido e Novembro nos Estados Unidos poderia ser facilmente um álbum dos Rolling Stones ou de qualquer outra banda clássica do Rock tal sua importância para diversas gerações não apenas do punk. Neste álbum Johnny Rotten nos vocais, Steve Jones nas Guitarras, Sid Vicious no baixo e Paul Cook, deram ao mundo Liar, Problems, Submission e os clássicos God Save the Queen e Anarchy in the U.K. tão regravadas e copiadas por diversos artistas dos mais variados estilos. O fato é que as polêmicas envolvendo a formação inicial da banda, o surgimento da figura mitológica de Sid Vicious e a total devoção dos punks a esta obra transformaram-na em um álbum musicalmente muito bom, uma obra de arte e um clássico do Rock de todos os tempos. Assim como os Dead Kennedys, há fontes melhores do que eu para falar a respeito da banda, quero apenas destacar este grande disco que consta na lista dos meus favoritos.
Rocket to Russia é um álbum dos Ramones que eu sinceramente não gosto. Parece estranho falar assim, sendo que essas listas são bem particulares e emitem apenas minha opinião. Mas explico:  Esse álbum é de uma banda Punk anterior ao movimento Punk, tem uma sonoridade mais suave e simplória em termos de produção, porém algumas músicas como Rockaway Beach, Cretin Hop, Sheena is a Punk Rocker, Teenage Lobotomy e Surfin’ Bird são tão importantes para tudo que aconteceu musicalmente nos anos seguintes que é impossível negar a relevância desse álbum. E mais do que isso. Esse disco foi importantíssimo para que a banda se tornasse tão popular até hoje e siga viva nos corações dos roqueiros em geral já que todos os envolvidos no processo de gravação deste album estão mortos. Por isso mesmo, fica aqui minha homenagem a Joey, Johnny, Dee Dee e Tommy que decidiram romper com os excessos do rock dos anos setenta para fazer um som simples, intimista e inteligente que cativou e ainda cativa milhões de pessoas de diversas gerações.
Brasil do Ratos de Porão é genial e único. Lançado em 1989 esse álbum conta com João Gordo nos vocais, Jão na guitarra, Jabá no baixo e Spaghetti na bateria. Podem falar mal do seu vocalista por vários motivos, dizer que a banda não é punk, e o que mais ouvi nesses anos todos. Mas quando se escuta este álbum, que foi gravado na Alemanha e representa uma fase mais popular e madura da banda, percebesse uma temática extremamente fiel e representativa do cenário político e social do Brasil naquela época. Já a sonoridade é agressiva e bem produzida para os padrões do punk rock brasileiro. Este álbum é uma referência para mim até hoje em termos de sonoridade e continua cada vez mais atual em termos de letra. Quem se despir de preconceitos de qualquer tipo e apenas saborear o álbum saíra com a alma lavada e com a sensação de que os seus 30 minutos de duração passaram tão rápido que mal deu pra processar toda a informação apresentada. A sonoridade remete as bandas crossover, mais Thrash Metal que realmente punk, porém de forte conotação contestatória politicamente.
Canções para Ninar dos Garotos Podres. O que esperar de um álbum gravado e lançado em 1993, produzido por Roger Moreira do Ultraje a Rigor e com este título? Bomba! Mas neste caso estamos falando de bomba no bom sentido, pois Mao nos vocais, Mauro na guitarra, Sukata no baixo e Português na bateria formam uma banda do punk rock paulistano das mais importantes de todos os tempos. Com letras geniais e sonoridade polida na medida certa, este álbum não representa nenhum movimento específico. É apenas um álbum brasileiro que reflete de forma honesta todo o sentimento que estava habitando cada brasileiro no início dos anos 90. Juntamente com Brasil do Ratos já citado nessa postagem, este ótimo álbum também pode ser considerado um registro histórico de todo sofrimento e humilhação que o povo brasileiro sofre graças a seus governantes corruptos e trapalhões. Não tem como não entrar num túnel do tempo ao ouvir Fernandinho veadinho e parar no início dos anos 1990. Surfista de Pinico ilustra muito bem muitas pessoas daquela geração, sem contar a fantástica Oi, tudo Bem?
Não busquei aqui contar a história do punk ou ser justo ao avaliar cada obra. Apenas citei cinco álbuns que bateram forte pra mim musicalmente e para outras pessoas que nada tinham a ver com o movimento punk, mas que foram sugadas para dentro desta ideologia de certa forma e assimilando algumas de suas ideias. Bandas como Cólera, Inocentes, Olho Seco entre outras, podem representar melhor o cenário punk nacional para os entendidos ou envolvidos diretamente com os movimentos, mas para mim, os dois álbuns nacionais citados são obras excelentes e até certo ponto subestimadas pela maioria. Em relação ao cenário internacional, poderia ter citado o álbum The Massacre do The Exploited no lugar de Rocket to Russia, mas seria incoerente com meu critério, pois o citado álbum é mais Metal do que Punk e sequer representa muito bem a carreira da banda, prefiro apenas a sonoridade mesmo. Isso seria algo muito particular e não somaria aos leitores. Também devo uma menção honrosa a GBH, Rattus, The Clash, Misfits, Stooges e mais uma dezena de outras bandas que tiveram suas importâncias no cenário mundial influenciando diversas gerações, mas como a ideia é "as minhas cinco indicações", ai estão elas. Bom proveito.
Postar um comentário