quarta-feira, 19 de abril de 2017

A baleia azul

          Eis que um fenômeno preocupante na internet tem me chamado a atenção, não só a mim, mas a muitos pais, o tal jogo da Baleia Azul. Li apenas alguns relatos na internet e as matérias que saíram na imprensa. Não vou culpar a internet por adolescentes se envolverem em jogos auto destrutivos e nem teorizar a respeito da idiotice dessas jovens, como muitos estão fazendo. Li comentários de que essas meninas acabariam por se dar mal de qualquer jeito, pois são os tipos que ficam mandando nudes via redes sociais em troca de recarga de celular e outros presentes. Ora, para aqueles que pensam dessa forma, só posso dizer uma coisa: "Vocês são parte disso!" Acredito que nunca foi tão difícil para os pais lidarem com os filhos como hoje em dia. Há sempre a preocupação em ter dinheiro para a alimentação, saúde, bem estar e demais necessidades dos filhos, como em todas as épocas, aliás. Como se não bastasse, o governo se coloca entre pais e filhos com leis estapafúrdias. A obrigatoriedade de matricular uma criança em uma instituição é um exemplo, o governo até paga os mais pobres para isso, mas presta um serviço miserável, como todo o serviço público, sem contar greves e abusos de profissionais mal preparados e falta de fiscalização. Fora isso há a tal "lei da palmada", que só se aplica a pessoas de bem, pois pais irresponsáveis ignoram leis e abusam dos filhos sem se preocupar com elas. Como se não bastasse, há a tal doutrinação que todos negam, mas que levou milhares de adolescentes a ocupar escolas para protestar sobre algo que sequer entendiam. Se pessoas ligadas ao governo não tem escrúpulos na hora de utilizar jovens como massa de manobra, imagine se irão zelar pela integridade dos mesmos como sugere tais leis.
          Admito que fico batendo em algumas teclas, o que pode ser cansativo para quem lê meus textos, mas é mais cansativo ainda ver que as mesmas coisas se repetem constantemente. Os pais são responsáveis pelos filhos e não o governo, por mais que "entendidos" discordem. Pais podem errar, ser bandidos, mal preparados, o que for, mas muitos são boas pessoas e amam seus filhos. Por outro lado, o governo é sempre incompetente em tudo. Querem que entregamos nossos filhos a um órgão que erra sempre, para evitar que eventualmente possamos ser maus pais. Pais não fazem greve, pais não tem uma casa com trinta filhos para cuidar, pais conhecem seus filhos muito mais que eles mesmos, ser pai é um dom e uma tarefa grandiosa e não um fardo. Estão tirando das pessoas o desejo de serem pais, estão tirando a capacidade dos indivíduos de fazer isso. O resultado é esse tipo de isolamento que os adolescentes são expostos, que se não é totalmente responsabilidade dessas pessoas que acreditam que um governo pode assumir a tarefa de cuidar de pessoas, é sim grande parte do problema. Afastam os filhos dos pais, criam barreiras entre eles, mesmo com todas as provas esfregadas na cara de todos diariamente, parece impossível que haja tal compreensão. Já é muito difícil se manter atento aos sentimentos dos filhos e suas atitudes sendo um pai presente e zeloso, imagine o quanto isso é potencializado com a atual conjuntura imposta pela legislação e o ambiente social.
          Mas as redes sociais nos mostram coisas mais tristes. Infelizmente muitas pessoas, jovens mais precisamente, estão muito eufóricas com a ideia de uma morte bem brutal. Isso é praticamente inevitável, pois existe grande atração dos jovens por situações bizarras e sentimentos mórbidos, ao menos para parte deles. Não condeno isso, pois o sucesso de filmes de terror, cultura gótica, atração por serial killers, demônios e todo este ambiente macabro pode ser muito excitante, mas quando se detêm na arte exclusivamente. Quando estes dois mundos se confundem as coisas fogem do controle. É necessário destruir este mundo lúdico do cinema, da música, da literatura? É claro que não. Mas é primordial que os pais, amigos e quem mais se importe, se envolvam com esses jovens e fiquem o mais próximos possível, isso ajudará muito a superar certas fases importantes que precisam ser encaradas para o desenvolvimento do ser humano. Jovens são idiotas em sua maioria e imaturos na sua totalidade, isso é natural e aceitável. A própria ideia de não destrutividade ou a sedução pela ideia de morte é algo real e necessita de atenção. Todos fomos jovens e idiotas um dia, e boa parte se tornou velhos e idiotas, mas isso não é o caso. É preciso atentar para os jovens idiotas se tornem adultos mais sábios e competentes que a nossa geração de incultos e fantoches acabou se tornando.
          Para finalizar essa postagem, peço que tratem os jovens com mais atenção e carinho, pois apenas acusá-los, criticá-los e simplesmente considerá-los como sendo idiotas inúteis é a atitude mais covarde que se pode ter. Não posso responder por todos os pais, apenas tentar fazer o que for possível para que meus filhos não caiam em nenhuma dessas armadilhas. Que não passem pela vida totalmente imunes e sem cicatrizes, mas que suas experiências transforme-os em seres humanos muito melhores do que eu em todos os aspectos. Que sigam seus caminhos com a liberdade que precisam e com a sabedoria que adquirirem, pois muito pouco tenho a contribuir neste sentido. Não é uma questão de fé, é um trabalho que só poderá comprovar sua validade quando chegar a hora. Não sou idiota ao ponto de ficar idealizando uma utopia, pois tenho plena consciência do mundo em que eu vivo e será a partir dele que o futuro se moldará. Entretanto, não encaro o futuro com o pessimismo dos covardes que se submetem ao caos com preguiça de lutar. Escrevo neste espaço, trabalho minha música, me dedico em meu emprego, busco debater com meus amigos, abraço a tarefa de ser pai e marido com total comprometimento, se isso não bastar, apenas lamento, contudo, tenho tido algumas boas noites de sono e me saio vitorioso em algumas batalhas diárias. Só saberei se alcançarei algum sucesso quando estiver no fim e fazer um balanço. Hoje só posso começar do zero todos os dias com a dedicação sempre renovada. Se as batalhas diárias vencidas não representam nada no dia seguinte, as derrotas também não. Aos jovens, vitimas potenciais de jogos como da "baleia azul", digo que há um futuro incerto que vos aguarda, mas pode ser muito interessante e reservar surpresas que valem a pena. Porém, para poder usufruir dessas coisas é preciso estar vivo e de preferência inteiro. Sou fã de Heavy Metal, músico, adoro filmes de terror e histórias de ocultismo. Também sofri muitas tentações na juventude que pareciam ser o único caminho a seguir. Mas a vida me reservou uma esposa maravilhosa, uma filha linda e enteados queridos. Guardo com carinho as lembranças de inúmeros shows que fui e que vou eventualmente. Li livros maravilhosos e que me mostraram todo um mundo que seria incapaz de conhecer com a experiência de uma vida. Isso tudo não me livrou da depressão, de momentos de solidão e tristeza, do fracasso, da queda na auto estima, afinal, a vida é difícil mesmo. Contudo, vivi coisas que jamais achei que fosse possível e que superaram as minhas expectativas mais otimistas. Não sou apenas um exemplo, se olharem ao redor poderão ver muitas pessoas que envelheceram também, passaram por momentos de dúvida e até de desespero, mas conseguiram seguir em frente e acumular belas histórias sendo apenas pessoas comuns. Segue vídeo complementar no meu canal do Youtube:


Postar um comentário